Familiares vão ao MPE cobrar justiça e solução para casos de vanzeiros mortos - DOURADINA NEWS - 5 ANOS NA LIDERANÇA!

22º min
32º min



Douradina - MS, quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Familiares vão ao MPE cobrar justiça e solução para casos de vanzeiros mortos

Publicado em: 24/11/2016 às 17h55

douradosnews

Após percorrer ruas da cidade, os manifestantes foram para o MPE-Fotos: Joandra Alves

Familiares, amigos e funcionários de empresas de turismos de Dourados realizaram um protesto na manhã desta quinta-feira (24), com uma carreata, como forma de chamar a atenção das autoridades e pedir justiça, para que os casos sejam elucidados.

Ao todo, quatro pessoas atuantes no ramo de turismo na cidade foram assassinadas em um ano.

De acordo com Rosana Vieira Verão, de 35 anos, esposa de Osvaldo Francisco da Silva de 58, o ‘Bila’, assassinado no dia 15 de novembro deste ano, na Vila Rosa, a manifestação é uma forma de pedir justiça para elucidação dos casos e também para que não seja feito novas vítimas.

"Estamos aqui pedindo justiça, pois todas as famílias estão desamparadas. Meu marido era honesto, trabalhador, sossegado e busco que seja feito justiça. Ele foi morto pelas costas sem direito a defesa e não queremos que novas pessoas sejam feitas vítimas", disse a mulher emocionada.

A manifestantes se reuniram no cruzamento da rua Coronel Ponciano com a avenida Marcelino Pires seguindo até a rua Firmino Vieira de Matos, passando pela Cuiabá e Cafelândia, finalizando o ato no MPE (Ministério Público Estadual). A todo momento gritando por justiça munidos de cartazes.

Segundo Vanessa Marques de 36 anos, prima de José Edilson Moraes de 40 anos assassinado em fevereiro deste ano, que organizou a manifestação, o objetivo é além de cobrar justiça é que outras pessoas não sejam vítimas e que os casos sejam elucidados.

"Organizamos essa manifestação pois cobramos justiça, e que não tenha novas vítimas, pois os familiares buscam ter segurança para trabalhar, pois todos estão apavorados com os crimes. Meu primo também foi morto pelas costas e cobramos providências, pois já se passaram nove meses e nada foi feito", contou Vanessa.

Os familiares pediram para que pessoas que tenham algumas informações sobre os fatos, que procurem a polícia, pois toda ‘pista’ é importante para que seja elucidado o crime.

O Dourados News tentou contato com Lupésio Degerone, responsável pela Delegacia Regional de Dourados, buscando informações sobre os casos e como estão as investigações, no entanto o mesmo não foi localizado.

Outras Mortes

Toni Edinaldo dos Santos, 40, acabou executado dentro de sua casa no Água Boa, no dia 24 de setembro de 2015.

Quinze dias depois no cruzamento das ruas D-12, com DA-5, no residencial Dioclécio Artuzi, Alexsander Oliveira da Silva, 21, residente no Parque Nova Dourados.