Com chegada de militares, ônibus voltam a circular em Vitória - DOURADINA NEWS - 5 ANOS NA LIDERANÇA!

22º min
32º min



Douradina - MS, terça-feira, 21 de novembro de 2017

Com chegada de militares, ônibus voltam a circular em Vitória

Publicado em: 07/02/2017 às 14h41

Correio do Estado

As ruas do Espírito Santo seguem praticamente sem policiamento na manhã desta terça-feira (7), com um movimento de familiares de policiais militares bloqueando a saída de viaturas.

Porém, com reforço de mil homens das Forças Armadas e 200 da Força Nacional de Segurança no Estado, alguns comerciantes abriram as portas, e os ônibus voltaram a circular pelo menos até as 19h.

Desde a noite desta segunda (6), a Folha de S.Paulo viu dois caminhões das Forças Armadas circulando em Vitória. O reforço dos militares se concentra em terminais de ônibus da cidae. A Prefeitura de Vitória manteve a suspensão das aulas e do atendimento em postos de saúde.

Desde sábado (4), o Estado vive uma onda de criminalidade, com assaltos, arrastões e assassinatos. Vídeos publicados na internet mostram lojas sendo saqueadas e até um ônibus roubado de um terminal.

Segundo o Sindicato dos Policiais Civis, já foram 63 mortes nós últimos três dias. O governo do Estado não confirma o número. Policiais do departamento de homicídios afirmaram à Folha que os corpos recolhidos no fim de semana têm sinais de execução, geralmente com de dois a quatro tiros na cabeça, peito ou costas.
No IML (Instituto Médico Legal) de Vitória, a movimentação de parentes é intensa e há superlotação de corpos. Paulo Oliveira foi ao local para liberar o corpo do sobrinho de 22 anos, que foi assassinado no domingo (5) em Cariacica, região metropolitana de Vitória.

A família não quis informar se o jovem, que trabalhava na construção civil, tinha passagem pela polícia. Sobre a falta de policiamento, Oliveira afirmou ser "uma negligência do Estado" e que a reivindicação dos policiais "não justifica colocar a sociedade à mercê da criminalidade".

Uma mãe que não ser identificada chorava a perda do filho de 19 anos. "Estou sem comer e sem dormir", diz. Para ela, o filho foi executado. Segundo a mulher, dois homens passaram em uma moto atirando contra o jovem na manhã de segunda-feira próximo ao Shopping Boulevard da Praia, no bairro Santa Helena.

O jovem já havia sido preso por furto e estava em liberdade há oito meses, de acordo com o relato da mãe. "Ele me disse 'mãe, estou mudado, a senhora não vai ter mais dor de cabeça comigo'", disse à Folha.