Sistema com robô acompanhará UTI do HV com foco em redução da mortalidade - DOURADINA NEWS - 5 ANOS NA LIDERANÇA!

22º min
32º min



Douradina - MS, sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Sistema com robô acompanhará UTI do HV com foco em redução da mortalidade

Publicado em: 20/02/2017 às 22h18

Dourados News

Foto: Robô enviará dados dos pacientes à central do sistema, ajudando a prevenir situações inesperadas- Foto: Gizele Almeida

Foi apresentado nesta segunda-feira (20) o projeto Telemedicina que passará a funcionar na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital da Vida. O intuito é o uso da tecnologia por meio de videoconferências e robô no acompanhamento dos pacientes para a redução da taxa de mortalidade e do tempo de permanência destes nas unidades.

O sistema de Inteligência Artificial é desenvolvido pela Intensicare, empresa que administra a UTI na unidade hospitalar.

Conforme o secretário de Saúde, Renato Vidigal, o projeto agregará muito ao trabalho na unidade que conta com alta taxa de mortalidade na UTI com atendimento a pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde) de toda a região.

Para ele, a redução nesses números deve ocorrer em um curto período de tempo.

"A taxa de mortalidade do HV principalmente na UTI é alta, por que nós somos referência em uma macrorregião de quase 1 milhão de habitantes e é um hospital de trauma e os pacientes vão a óbito normalmente na UTI, principalmente com a causa de acidentes e doenças como infarto, AVC. Nós pretendemos reduzir com esse sistema em 20/30% a taxa de mortalidade no município, sendo que o resultado será imediato com a geração dos dados diários dos pacientes, em certa de 30 dias nós já temos estatísticas comprovando a melhoria da qualidade da saúde aos pacientes", disse.

De acordo com Maurício Batista Leitão, diretor médico técnico da Intensicare, nas 11 unidades em que o projeto está em vigência, foi reduzido em até 20% o tempo de internação e em 30% a taxa de mortalidade nas UTI’s. Ele ressalta que o projeto é pioneiro na América Latina e possibilita aos profissionais um melhor levantamento da situação dos pacientes e a estruturação de ações a partir disso, sendo que este chega a Dourados pelo bom desempenho da unidade.

"A Unidade de Terapia Intensiva da cidade tem um bom desempenho técnico que com certeza será melhorado com o sistema. Os profissionais contarão com levantamentos como frequência cardíaca, pressão, temperatura, entre outros que serão analisados e por vezes apontam um perigo que talvez fosse passar despercebido e assim salva esse paciente. Todo esse ‘balanço’ é repassado para uma central em Brasília que se necessário acionam os profissionais da unidade por meio de conferência para algum tipo de medida", citou.

Ele cita ainda que com o robô é possível acompanhar as condições do leito, qualidade, higiene, situação dos equipamentos e se o padrão de atividades está sendo cumprido.

Vidigal ressalta que o projeto teve custo zero ao município e fala sobre a economia que poderá ser gerada posteriormente com o mesmo, já que possibilitará uma rotatividade maior na UTI.

 

"Conversamos muito com a Intensicare e nossa única exigência foi o custo zero. Sabemos ajudando a reduzir o tempo de internação, isso a médio longo prazo é uma economia para os cofres do município", frizou. O secretário destacou ainda a importância da inovação tecnológica em conjunto com um atendimento ‘humano’, com o apoio ainda dos profissionais da administradora.

"Acho que com tecnologia e humanização de forma a se preocupar com as pessoas e tratá-las bem, vamos ter cada dia mais resultados na área da saúde, destacando que as máquinas não substituem a equipe física e sim vem para agregar. Temos certeza que essa integração pela equipe médica, os enfermeiros, a tecnologia e a equipe a distância, Dourados só tem a ganhar e vamos nos tornar referência no Brasil", disse.

A prefeita Délia Razuk aproveitou a oportunidade para frisar sobre a iniciativa da empresa em trazer a inovação para Dourados e citar que há a abertura para novas tecnologias.

"Estamos abertos a novas tecnologias, certamente essa é a primeira de outras que ainda virão", citou.