Inca estima mais de 8 mil novos casos de câncer no ano em MS - DOURADINA NEWS - 5 ANOS NA LIDERANÇA!

22º min
32º min



Douradina - MS, quinta-feira, 19 de julho de 2018

Inca estima mais de 8 mil novos casos de câncer no ano em MS

Publicado em: 06/02/2018 às 08h29


O Instituto Nacional de Câncer – José Alencar Gomes da Silva - divulgou nesta segunda-feira (05) a estimativa quanto a novos casos de câncer em 2018 no Brasil. Em todo o país, o levantamento aponta 600 mil casos e para Mato Grosso do Sul, 8.740. 

No Estado, os casos de câncer de próstata tem perspectiva de sobressair em números (1.190). Na sequência, o câncer de mama deve registrar 830 casos. O câncer de colo e reto que atinge homens e mulheres tem previsão de 600 novos casos. 

Casos de câncer de traqueia, brônquio e pulmão também tem tendência de contar com índices altos (470 casos).  A previsão é que o total restante de 6.250 novos casos se divida em: estomago, colo do útero, cavidade oral, sistema nervoso central,  leucemia, esôfago, linfoma não hodgkin, glândula tireoide, bexiga, laringe, corpo do útero,  pele melanoma, ovário, linfoma de Hodgkin e em outras localizações. 

Os dados apontam que Mato Grosso do Sul tem perspectiva de ser o segundo Estado do Centro Oeste com maior número de novos casos no ano, atrás apenas de Goiás que tem previsão de 18.060 novos casos. 

No entanto, com análise a população de cada Estado, nota-se que a proporção de novos casos é maior em MS. 

Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) apontam que Goiás tem uma população estimada de 6.788.772 pessoas e Mato Grosso do Sul de 2.713.147 pessoas. Se compararmos esses números com os dados apontados pelo Inca, em MS uma a cada 310 pessoas devem ter câncer em 2018 e em GO, uma a cada 375 pessoas devem contrair a doença no mesmo período. 

No Distrito Federal, o levantamento aponta 8.450 casos no período. Já em Mato Grosso os novos casos devem registrar 8.360 ao todo. 

Ainda de acordo com a pesquisa, os tipos de câncer mais incidente no país são de próstata, pulmão, mama feminina, cólon e reto. Possuem altas taxas os cânceres de colo do útero, estômago e esôfago. 

A previsão é que os cânceres de próstata (68 mil) em homens e mama (60 mil) sejam os mais frequentes em todo o país. 

São Paulo deve liderar este ranking com o registro de 141.250 novos casos, seguido do Rio de Janeiro, com 62.230 novos casos e de Minas Gerais, com 57.590 novos casos. 

Por região 

De acordo com o Instituto, a realidade dos casos da doença variam por regiões do país. 

Nas Regiões Sul e Sudeste, predominam os cânceres de próstata e de mama feminina, bem como os cânceres de pulmão e de intestino.

Na região Centro-Oeste, apesar de semelhante, incorpora em seu perfil os cânceres do colo do útero e de estômago entre os mais incidentes. 

Nas Regiões Norte e Nordeste, apesar de também apresentarem os cânceres de próstata e mama feminina entre os principais, a incidência dos cânceres do colo do útero e estômago tem impacto importante nessa população. 

A Região Norte é a única do país onde as taxas dos cânceres de mama e do colo do útero se equivalem entre as mulheres.