“PSD e PTB não são irmãos”, diz Fábio sobre aliança de Nelsinho - DOURADINA NEWS - 5 ANOS NA LIDERANÇA!

22º min
32º min



Douradina - MS, quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

“PSD e PTB não são irmãos”, diz Fábio sobre aliança de Nelsinho

Deputado federal disse que espera posição do partido para fazer alianças

Publicado em: 27/04/2018 às 19h46

correiodoestado

Deputado Fábio Trad disse que ainda não definiu alianças para as eleiçõ

O deputado federal Fábio Trad (PSD) disse ontem que não haveria problema em apoiar outro pré-candidato ao governo do Estado em vez do escolhido pelo irmão e ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PTB). A declaração contraria o que o então administrador da Capital, Marcos Trad (PSD), informou ao Correio do Estado: que os três seguiram juntos na aliança. 

Segundo Fábio, mesmo sendo irmão de Nelsinho, os partidos não são e ele seguirá a orientação nacional e discutirá com os demais integrantes da sigla em Mato Grosso do Sul antes de definir com qual chapa seguirá para a urna. 

 

“Temos conversado com todas as três pré-candidaturas, mas não decidimos porque só em junho vamos decidir. A maioria quer uma política livre de espertalhões, porque a questão da ética são expressões de comportamento perante a vida pública e hoje sensibiliza consideravelmente o eleitorado nacional”, disse, frisando que, no Estado, os três principais concorrentes para o Executivo são o ex-governador André

 

Puccinelli, o atual, Reinaldo Azambuja (PSDB), e o juiz federal aposentado, Odilon de Oliveira (PDT). 

 

Pré-candidato à reeleição para a Câmara dos Deputados, Fábio disse que a proximidade de Nelsinho com o atual administrador de Mato Grosso do Sul não interfere no PSD. “Essa aliança não nos traz para o Azambuja, não necessariamente. O PSD vai tomar a decisão de forma institucional, sem levar em consideração o aspecto familiar que une os irmãos.

 

Vamos supor que o Nelson resolva apoiar o PSDB, não significa que PSD vai apoiar porque sou irmão. O PSD não é irmão do PTB”, ressaltou.

 

Questionado sobre a declaração de Marcos Trad, sobre os irmãos seguirem o legado do pai e, juntos, apoiarem apenas um candidato, Fábio tentou se defender alegando que ele poderia ter tido a respeito das pré-candidaturas dele e de Nelsinho, que quer uma cadeira no Senado Federal, mas deixou claro que, com relação ao Executivo estadual, ele não teria problema em fazer outra escolha. 

 

“Sigo outro caminho, sem problema algum. O Marcos pode ter afirmado isso, mas não com relação ao governo. Vamos aguardar o posicionamento do partido, que ainda não definiu candidatura para presidência, nem apoio”, destacou. 

 

ALIANÇA 

 

Após uma publicação de Fábio Trad no Facebook, o vereador e filho do juiz Odilon, Odilon de Oliveira Júnior, disse que as portas do PDT estão abertas para receber o deputado. No texto, ele ressalta que, à frente do PSD, lutará para que a sigla apoie um pré-candidato com “postura ética e honesta”. 

 

“Lutarei para que o PSD de Mato Grosso do Sul apoie uma candidatura ética e honesta para o governo do estado. Em tempos de crise moral na política, penso que as alianças devem afirmar valores reclamados pela população”, diz a nota.

 

Um filiado do PDT chegou a postar que Trad seria o vice-governador, junto com Odilon, e formaria uma chapa com a “reserva moral de Mato Grosso do Sul”. 

 

Odilon Júnior esclareceu que não conversou pessoalmente com Fábio, mas que ele seria bem-vindo à legenda e destacou que fez o comentário de forma amigável. “Foi de forma independente. Ele é um excelente nome, mas qualquer discussão tem que passar pelo diretório”.