Obra do ‘novo’ aeroporto de Dourados deve terminar em 2020 - DOURADINA NEWS - 5 ANOS NA LIDERANÇA!

22º min
32º min



Douradina - MS, sábado, 22 de setembro de 2018

Obra do ‘novo’ aeroporto de Dourados deve terminar em 2020

Publicado em: 11/05/2018 às 07h56

douradosnews

Aeroporto deve ficar pronto em dois anos - Crédito: Aviação Regional de Dourados

O andamento da reforma orçada em R$ 49 mi do Aeroporto Municipal de Dourados Francisco de Matos Pereira foi apresentado na tarde desta quinta-feira (10), em audiência pública, na Aced (Associação Comercial de Dourados). Os valores já empenhados e próximas etapas foram explanados pelo general de Brigada Lourenço Willian da Silva Ribeiro Pinho. 

O Exército é o responsável pela obra no município.

De acordo com o general estão empenhados o 3° Grupamento de Engenharia de Campo Grande e três batalhões logísticos. Quando iniciado os serviços, mais de 200 militares deverão estar envolvidos. 

Durante a audiência, foi apontado que o valor de R$ 4 mi e 200 mil já foram empenhados pela Secretaria de Aviação Civil, após a assinatura do TED (Termo de Execução Descentralizada) assinado em dezembro passado pela prefeita Délia Razuk junto ao Ministério de Transportes. 

O general explica que com tal valor, foram “adquiridos tratores, adiantada parte de usina de asfalto e concretagem, sendo que os equipamentos devem ser entregues até julho”. 

O cronograma de ações de forma resumida abrange todo o ano de 2018 para projetos, reconhecimentos e trâmites burocráticos, com previsão do início das obras para janeiro de 2019 e término no segundo semestre de 2020. 

“O ano de 2018 foi dedicado a projetos e lançamento de licitação. Até 31 de dezembro, o Exército está encarando como projeto, pode ser que adiante dependendo do certame licitatório”, explica o general, com apontamento de que na terça-feira (15), empresas interessadas na licitação estarão reunidas com o grupamento de engenharia em Campo Grande. 

Ele relembrou os esforços dos poderes públicos envolvidos que garantiram a reforma do Aeroporto, a qual será efetuada juntamente com a obra em outros onze pelo país, sendo que ocorreu um “filtro”, pois, inicialmente a ação colocava em avaliação para receber tais recursos mais de 200 aeroportos.


Para 2018, a estimativa é o investimento do valor de R$ 15 mi no projeto. 

“Calculamos que após a parte burocrática, tenha-se um ano e meio de serviços. Vemos que o que demora mais é a construção do terminal de passageiros, porém estamos fazendo o possível para apoios e gerindo recursos da melhor forma para que tudo ocorra com um prazo estabelecido”, disse. 

O general apresentou um esboço da planta da obra que vai contemplar ampliação e restauração da pista de pouso e decolagem, execução de nova pista de taxiway, pátio de aeronaves, áreas de escape, faixas preparada e de pistas, implantação do estacionamento de veículos, vias de acesso e terraplanagem necessária para edificações e serviços complementares para adequação de infraestrutura necessária para a operação do aeroporto, além de obras complementares.

A prefeita Délia Razuk destacou que é inédito no país o apoio do Exército quanto a execução da obra de um aeroporto. 

“Estas tratativas ocorreram pois além de todo conhecimento técnico é uma das diretrizes da instituição a contribuição no desenvolvimento, como função institucional, um trabalho eficaz, sendo que foi satisfatório contar com este apoio, também buscaram esse serviço outros generais antes do atual e nós temos esse reconhecimento que deixamos também a antigos secretários, gestores empenhados, senadores, deputados e Governo do Estado e Governo Federal”, pontuou. 

Ela aproveitou a oportunidade para ressaltar que a obra agregará no desenvolvimento do município e fornecerá aos usuários mais opções de voos, preços e comodidade. 

“Contar com o aeroporto com toda a qualidade que teremos vai ser imprescindível para o constante crescimento da cidade. Temos grandes prestadores de serviços na área médica e em vários outros setores e por alguns pontos que ainda precisam de melhorias muitos as vezes tem que pousar em Campo Grande e depois se deslocar para cá, com certeza será de grande impacto, receberemos outras aeronaves e os custos de passagens serão mais competitivos”, pontuou.