Preso professor suspeito de estuprar 7 alunos de escola municipal em Campo Grande - DOURADINA NEWS - 5 ANOS NA LIDERANÇA!

22º min
32º min



Douradina - MS, terça-feira, 22 de maio de 2018

Preso professor suspeito de estuprar 7 alunos de escola municipal em Campo Grande

Ele chegou a dar dinheiro para recompensar estudante

Publicado em: 15/05/2018 às 08h11

midiamax

Foto:Clayton Neves

Foi preso na tarde desta segunda-feira (14) o professor de 59 anos suspeito de estuprar sete alunos da rede municipal de ensino de Campo Grande. Conforme apontou investigação, o homem chegou a dar dinheiro para uma das vítimas como recompensa pelos abusos. Ele vai responder por estupro de vulnerável e a princípio, fica na carceragem da Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos) até ser encaminhado para o presídio.

Conforme declarações do delegado Fábio Sampaio, da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), a prisão se baseou em relatório do setor psicossocial após atendimento às vítimas e no testemunho dos adolescentes.

 

Casos de estupro geralmente são crimes onde não existem testemunhas, por este motivo a Justiça considera de extrema importância o relato das vítimas, prova disso é que o pedido de prisão foi acatado pelo juiz” acrescentou o delegado Sampaio.

Ronaldo Franco, advogado do suspeito, disse que o cliente segue negando o crime e que aguarda laudos periciais solicitados pela polícia para traçar a estratégia de defasa. ” Ele é um profissional que atua há muitos anos nas redes estadual e municipal, ninguém vira pedófilo do dia para a noite e acho pouco provável que um professor, que é o centro das atenções em uma sala, abuse de alguém diante de 40 estudantes”, relata.

Abusos na escola

A polícia já investigava possíveis abusos cometido contra três alunos, dois meninos de 12 anos e uma menina de 13. Durante o trabalho, a polícia descobriu mais quatro possíveis vítimas do professor, sendo mais duas meninas de 11 e 12 anos, um menino de 12 e outra criança que não teve idade divulgada.

Sampaio contou que em um dos depoimentos, uma das crianças relatou que abusos aconteciam em exames escolares de fim de ano, quando estudantes ficavam de recuperação.

Segundo o relato ao delegado, criança disse que quem ficava por último na sala de aula durante as provas finais, era obrigado pelo professor a tocá-lo. Os alunos também eram molestados.

As meninas contam que durante as aulas eram surpreendidas por abraços por trás pelo suspeito e ele também tocava as partes íntimas das alunas.