Servidores da educação vão ao CAM cobrar reajuste salarial - DOURADINA NEWS - 5 ANOS NA LIDERANÇA!

22º min
32º min



Douradina - MS, sexta-feira, 20 de julho de 2018

Servidores da educação vão ao CAM cobrar reajuste salarial

Publicado em: 11/07/2018 às 11h44

douradosnews

(Foto: Vinicios Araújo)

Pelo menos 200 servidores lotados na Secretaria Municipal de Educação foram ao CAM (Centro Administrativo Municipal) na manhã desta quarta-feira (11) para cobrar o pagamento do reajuste salarial, segundo eles, defasado desde o ano passado. 

Segundo o diretor financeiro do Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação de Dourados) José Carlos Brumatti, a pauta da mobilização desta terça não é diferente dos outros dois encontros realizados no mês passado.

“No ano passado o reajuste passou em branco, não teve pra ninguém, e nesse ano apenas 2,86% dos 6,81% do piso do magistério. Queremos isso tanto aos professores quanto aos servidores administrativos, que também recebem com recursos da educação”, afirmou.

Ainda de acordo com o sindicalista, um levantamento feito pelo Simted apontou sobra de mais de R$ 12 milhões da educação que não foram investidos, dando condições à prefeitura para esses repasses.
 

Na primeira mobilização, o secretário de educação do município Upiran Gonçalves disse ao Dourados News que apenas professores serão contemplados com os reajustes, contrariando a exigência do sindicato de que "sem os técnicos administrativos, as unidades educacionais não funcionam", devendo ser linearmente beneficiados. 

O secretário se baseia na legislação do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) para resistir a pressão sindical. Ele garante que o acordo é destinado exclusivamente aos professores. 

Já segundo Brumatti, a resistência tem teor político, já que segundo ele, a alegação da gestão para não reajustar o salário dos administrativos da educação seria para evitar um “efeito cascata” entre os outros servidores do Município. 

“O que nós alegamos é que legalmente o administrativo da educação possui uma lei específica, um recurso específico e teria condições de receber esse repasse tranquilo”, afirmou.

PANFLETAGEM

Após a mobilização, os trabalhadores foram até a rotatória na avenida Coronel Ponciano em frente ao Pavilhão de Eventos, onde está instalada a Secretaria de Educação, para panfletagem aos motoristas. Além disso, equipes farão caminhada pelos bairros da região para distribuição de material informativo aos moradores.