Marun diz que Bolsonaro não irá rever decisão de Temer que o nomeou ao Conselho da Itaipu - DOURADINA NEWS - 5 ANOS NA LIDERANÇA!

22º min
32º min



Douradina - MS, terça-feira, 25 de junho de 2019

Marun diz que Bolsonaro não irá rever decisão de Temer que o nomeou ao Conselho da Itaipu

Ex-ministro afirma que Onyx Lorenzoni despachou com presidente e decidiu por manutenção no cargo

Publicado em: 03/01/2019 às 08h07

midiamax

O ex-ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, afirmou na tarde desta quarta-feira (2) que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) não irá rever decisão de Temer, que o nomeou para o cargo no conselho administrativo na Itaipu Binacional.

“Recebi agora mesmo a ligação de Ônyx [Lorenzoni, ministro chefe da Casa Civil] afirmando que despachou com o presidente e que serei mantido no cargo. Estarei portanto exercendo esta função com o mesmo empenho que dediquei a todas as funções que exerci”, declarou o ex-ministro por WhatsApp.

A informação de que a nomeação de Marun para o conselho da Itaipu estaria ameaçada foi trazida pelo jornal Estadão nesta quarta. De acordo com a publicação, interlocutores de Bolsonaro teriam afirmado que o recém-empossado presidente estaria insatisfeito com a nomeação feita por seu antecessor, Michel Temer.

Isso porque o ato de Temer contrariaria a intenção de Bolsonaro de nomear apenas técnicos para cargos do segundo escalão – no qual está a vaga de conselheiro da Itaipu.

Mais cedo, Marun destacou ao Jornal Midiamax que possui competência técnica para o cargo de conselheiro.

“Eu me sinto preparado, pois sou engenheiro, sou advogado, conheço a Itaipu desde a obra, já que como estagiário de engenharia andei por lá conhecendo detalhes técnicos dessa excepcional construção. Como morador em MS, conheço de forma especial as relações entre o Brasil e o Paraguai e como ministro aprofundei meu conhecimento sobre a governança de Itaipu”, destacou ao Jornal Midiamax.

Itaipu

Os governos do Brasil e do Paraguai têm a atribuição de nomear a Diretoria Executiva da Itaipu Binacional, por meio de indicação da Eletrobras e da Administración Nacional de Electricidad (Ande). Para cada cargo reservado a um país, há um posto equivalente destinado à outra margem.

Já no Conselho de Administração, que é composto por 12 membros, seis deles são brasileiros e seis paraguaios – dois deles são representantes dos Ministérios das Relações Exteriores, um de cada país. O Conselho de Administração reúne-se a cada dois meses ou em convocação extraordinária.

Informações prestadas na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados, do ano passado, mostraram que a remuneração de um conselheiro de Itaipu chegava a cerca de R$ 27 mil por mês.