Em um ano, saúde precisará de 235 profissionais para unidades - DOURADINA NEWS - 5 ANOS NA LIDERANÇA!

22º min
32º min



Douradina - MS, segunda-feira, 24 de junho de 2019

Em um ano, saúde precisará de 235 profissionais para unidades

Previsão é de inaugurar e expandir serviços em cinco novas UBSFs em diferentes bairros

Publicado em: 08/04/2019 às 09h27

correio do estado

Na obra abandonada da UBSF do Jardim Presidente, o cadeado não impediu a pichação - Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado

Para colocar em funcionamento cinco novas Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSFs), a Prefeitura de Campo Grande precisará, até 2020, de 235 profissionais da área da saúde, entre médicos, enfermeiros, dentistas, farmacêuticos, entre outros.

Cada unidade tem até três equipes de saúde da família, sendo composta na totalidade por 47 profissionais – três médicos, três enfermeiros, três odontólogos, um farmacêutico, um assistente social, um gerente, três auxiliares em saúde bucal, seis técnicos de enfermagem, quatro assistentes administrativos, 17 agentes comunitários de saúde e cinco agentes de saúde pública.

O novo titular da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), José Mauro Filho, em reportagem publicada pelo Correio do Estado no dia 4 deste mês, revelou que em dois anos a rede pública perdeu 528 médicos. Outra matéria, do dia 5 de março, mostrou as dificuldades da pasta a cada nova convocação de médicos, menos profissionais se apresentam para o serviço e mais deixam os postos de trabalho.

OBRAS


Entre as obras que estavam paradas e as que o Executivo Municipal deu continuidade há dois anos, são cinco prédios em construção e reforma de sete unidades. Um exemplo de obra que foi retomada é a do Bairro Arnaldo Estevão de Figueiredo. 

No local em volta do prédio erguido, há tapumes impedindo a visão do que está sendo feito, mas a equipe do Correio do Estado esteve no local e constatou equipes trabalhando. Em frente ao prédio, há uma placa informando sobre a construção da UBSF, que começou em 7 de agosto de 2014 e deveria ser concluída, um ano depois, ou seja, em 7 de agosto de 2015. O prédio deveria ser erguido na praça localizada na Rua dos Serralheiros, mas foi oficialmente transferido para a Rua dos Jornalistas, a 550 metros do local original. 

Quatro anos depois, a unidade ainda não foi inaugurada e a Prefeitura de Campo Grande não respondeu quando deve ser entregue. O total a ser investido soma R$ 1.203.700,00 – do montante, R$ 226,7 mil foram destinados pelo Ministério da Saúde e outros R$ 937 mil são de recursos municipais.

Moradora do bairro há dez anos que preferiu não ter o nome divulgado falou que, se a obra terminasse no tempo previsto, seria um benefício. “Os pedreiros têm trabalhado todos os dias na obra. Mas a gente não tem como ver em que pé está”.

Outra moradora, a aposentada Maria Aparecida dos Santos Souza, de 65 anos, depende do Sistema Único de Saúde (SUS). Para ser atendida, ela se desloca até o Bairro Tiradentes. “Se ficasse pronto logo, não precisaria ir até outro bairro para conseguir atendimento médico”.

Auxiliar de serviços gerais, Albina Valentim, 51 anos, quando precisa de médico também vai ao Tiradentes. “A obra é vantagem para quem mora aqui, mas nunca fica pronta”.

VANDALISMO


A UBSF do Bairro Jardim Presidente começou a ser construída entre 2011 e 2012. O prédio foi erguido, janelas e portas foram instaladas, mas não houve continuidade e por isso a construção foi alvo de vandalismo. Além da pichação e depredação, no local, é possível ver que vasos sanitários foram arrancados e deixados do lado de fora e janelas foram quebradas. Não há nenhuma placa indicando quando a obra começou e quando deve terminar.

Sobre a construção, a prefeitura informou estar em processo de atualização da planilha orçamentária, que é necessária em razão da depredação sofrida no imóvel. Após a atualização da planilha, a obra será licitada para conclusão.

De acordo com o titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep), Rudi Fiorese, o contrato com a empresa que estava executando a unidade foi rescindido. “Vamos licitar de novo. Estamos fazendo levantamento do que vai precisar para dar continuidade, mas ali precisa fazer a parte elétrica, cabos, instalação hidráulica, registros, torneiras, sanitários. Esquadrias foram danificadas por vândalos, será preciso refazer, assim como janelas”.

Fiorese disse não acreditar que a obra seja concluída este ano. “É preciso fazer a licitação, acho difícil terminar em 2019”.
 

Para este ano, estão previstas as entregas das obras dos bairros Alves Pereira, Cristo Redentor, Arnaldo Estevão e Zé Pereira e a reforma de mais sete unidades de saúde. 

A UBSF do Bairro Alves Pereira está em obras para reformas que foram retomadas em agosto de 2017. De acordo com a prefeitura, a empresa atrasou a execução, mas prometeu entregar até este mês. Os atendimentos da área de abrangência foram direcionados para a UBS Pioneiros e para a UBSF Jardim Botafogo.