Famílias com casas alagadas revezam para não ter pertences furtados - DOURADINA NEWS - A NOTÍCIA COM CREDIBILIDADE!

22º min
32º min



Douradina - MS, segunda-feira, 6 de dezembro de 2021

Famílias com casas alagadas revezam para não ter pertences furtados

Publicado em: 03/03/2016 às 14h43


Duas famílias que tiveram as casas alagadas no fim de semana se revezam em ‘cuidar’ do imóvel para não ter os pertences furtados. Os dois moradores que estão abrigados na casa de parentes, permanecem no local por temerem que pessoas mal intencionadas, mesmo com a água possam entrar e levar o pouco que ainda lhes sobraram.

“Não tem como deixar o local sem a presença de alguém, mesmo que foi constatado que perdemos tudo, temos a esperança de conseguir recuperar algumas coisas como roupas e panelas. Será um processo de difícil e o pouco que conseguirmos recuperar já vai ajudar”, disse Paulo Martins, 30 anos, casado e com duas filhas com idade de 2 e quatro anos.

Paulo é genro do seo Raul Reginaldo,77, que também teve a casa invadida pela água e perdeu tudo o que tinha.

Os dois que são vizinhos, permanecem no local dia e noite e aguardam que a água seja toda drenada, para voltar para a casa.

“Estamos aguardando que a água seja escoada, enquanto isso ficamos aqui cuidado do pouco que ainda nos resta. Temos a esperança de salvar alguma coisa depois de limpar e secar. Estamos abrigados na casa de parentes, não temos outra escolha o jeito é esperar”, complemento Raul.

Os dois desabrigados contaram ainda para o Dourados News, que temem caso a chuva volte na mesma proporção do fim de semana, pois o prejuízo será ainda maior.

“Mesmo com as obras estamos com medo que volte a chover forte e as nossas casas voltem a ser invadidas pelas águas. Uma obra para colocar uma tubulação ou outra maneira para conter a água, poderia ser feita para que o problema não volte a acontecer”, pontuou Paulo.

As obras para escoar a água no local iniciaram na tarde de quarta-feira (02), após a comunidade indígena bloquear a rodovia MS-156 que liga Dourados a Itaporã por duas horas pela manhã. E depois de negociaram com a Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimento) de Mato Grosso do Sul que teve o apoio da Sanesul e também da secretaria de serviços urbanos de Itaporã a via foi liberada.

Foi preciso quebrar o asfalto para que a água fosse drenada. Os trabalhos no local continuam e não tem previsão para o término.

A duplicação da MS-156 iniciou em 2008 e foi entregue em novembro de 2011, durante o governo André Puccinelli (PMDB). Na época, os investimentos no local foram de aproximadamente R$ 25 milhões.